IoMT: seu papel na gestão da saúde - Univision
907
post-template-default,single,single-post,postid-907,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

IoMT: seu papel na gestão da saúde

A medicina e a tecnologia vêm caminhando lado a lado há alguns anos, sendo incentivadas pelas healthtechs a adotar uma gestão de saúde mais conectada e independente. Com isso, já existem mais de 500 mil tecnologias médicas disponíveis, e um movimento quer revolucionar o ecossistema do cuidado com a saúde, o Internet of Medical Things (IoMT), ou Internet das Coisas Médicas.

O mercado global de IoMT espera valer cerca de US$255 bilhões até 2026, um aumento significativo para o valor de US$44,5 bilhões em 2018.

Leia mais sobre o IoMT a seguir.

O que é IoMT?

A revolução tecnológica da Internet das Coisas, ou Internet of Things (IoT), cria uma conexão entre objetos usados no dia a dia com dispositivos ligados à internet, como smartphones e computadores e nuvens de armazenamento. O mesmo conceito é aplicado ao IoMT, que busca conectar aparelhos e instrumentos médicos à internet para revolucionar a gestão da saúde.

O que pode estar ligado ao IoMT? Máquinas de tomografia computadorizada e ressonância magnética, wearables, como relógios e sensores, monitores de pressão e glicose, entre muitos outros dispositivos.

Benefícios e mudanças

O movimento do IoMT é mais um passo das healthtechs para o futuro. Estas, que já usavam da internet e de programas para melhorar a gestão de saúde e a prevenção de doenças, agora podem concretamente investir no cuidado remoto da saúde.

Com a evolução dos produtos IoMT será possível cuidar de pacientes de forma remota, já que os dispositivos coletam, analisam e transmitem os dados para os profissionais da saúde. Isso é uma verdadeira revolução para o tratamento de doenças crônicas ou de pacientes que vivem em zonas rurais ou afastadas de centros hospitalares especializados.

Os wearables, por exemplo, já monitoram batimentos cardíacos, oxigênio no sangue, temperatura e até detectam quedas de seus usuários. Agora imagine se todas essas informações coletadas fossem analisadas e enviadas diretamente para o médico, dispensando diversas consultas de rotina em pacientes saudáveis. Com as ferramentas IoMT, o objetivo é poder coletar outras informações importantes, como níveis de glicose e pressão arterial para que o médico analise remotamente e faça o tratamento.

Além de fazer com que a gestão da saúde fique mais eficiente, o IoMT também tem como objetivo reduzir custos com internações, consultas e procedimentos, sejam eles financiados por pacientes particulares ou operadoras de planos de saúde. Uma pesquisa feita pelo banco de investimentos Goldman Sachs estima que a indústria da saúde reduza seus custos em US$300 bilhões anualmente com o monitoramento remoto de pacientes.

O app QUER desenvolvido pela Univision é uma ferramenta de monitoramento de indicadores, crises, quedas e exames que coloca o cuidado com a saúde na palma da mão das pessoas. Com ele, pacientes podem monitorar sua saúde e aumentar seu bem-estar, ao mesmo tempo em que a operadora de plano de saúde pode identificar grupos de saúde e perfis de risco, com a intenção de implementar campanhas de prevenção.

Um dos maiores desafios da revolução IoMT é a sensibilidade dos dados coletados, podendo gerar uma resistência da população em coletar e transmitir esses dados pela nuvem. A conscientização de proteção de dados e a implementação de soluções de segurança serão essenciais para os próximos passos do IoMT.

Com a disseminação das ferramentas IoMT para a população, a coleta e o armazenamento de dados em apps como o QUER serão muito mais eficientes e assertivos. Para saber mais sobre o QUER e os outros produtos e serviços Univision, entre em contato conosco.

App QUER

App Unimed Cliente

App Unimed Cooperado

Tags:
,
Nenhum Comentário

Comentar